sábado, 27 de novembro de 2010

..VIDAS PASSADAS...

Quem fui, ontem?
Vazando o veu do esquecimento, indago-me quase que aflitamente:
Principe ou Mendigo?
Santo ou Pecador?
Juiz ou Reu?
Bom ou Mau?
Nenhuma resposta me satisfaz.
Todas sao vagas demais.
Meus familiares, nao sei se foram verdugos ou as pobres vitimas de outrora.
Sei, apenas, que nos suportamos uns aos outros, buscando um clima de coexistencia pacifica.
Vivemos juntos, nem sempre no mesmo plano mental.
Apos tanta indagacao, comecei por contentar-me em ver, nas minhas tendencias mas,o que devo corrigir em mim mesmo.
Devo renovar-me, resignando-me em nao perquirir muito sobre vidas pssadas, a fim de nao quedar-me em delirios de culpa.
Revolver o preterito poderia ser um reacender de odios mal curados, um reavivar de chagas mal cicatrizadas.
Aquela que me amamentou com desvelo poderia ter identificado em mim o seu perseguidor de ontem.
E que faria, entao, se tivesse de ofertar a sua propria seiva a quem lhe trouxe tanta dor?
Nao fui principe, porque tenho tendencia de mendigo.
Santo tambem nao fui, porque sinto o gosto do pecado.
Talvez tenha sido um reu, reclusado justamente.
Importa-me, agora, com boas resolucoes, construir o meu futuro, certo de que nada sera melhor se nao comecar a me esforcar hoje.
*
Roque Jacintho
Livro:-Meditando.

...Aos Filhos do Meu Brasil...
*
Filhos da amada Terra do Cruzeiro,
Onde a bênção do alto se agiganta
Uma pátria de amor, aqui se implanta
Sob as vistas do Excelso Pegureiro.
*
Ao sol fecundo, esvai-se o nevoeiro,
E nívea luz todo o temor espanta,
Nas belezas da fé que sacrossanta,
O amor exibe ao pálio aovissareiro.
*
Unificai-vos, pois á luz da crença,
Sem ódios, sem rancor, sem desavença,
Que o Espiritismo forja tempos novos!....
*
Jamais abandonarei a estrada reta,
Tendo Jesus por Guia e o Bem por meta,
Na vanguarda do amor, servindo aos povos!...
*
"Pedro D'Alcântara"
Psicografia de Francisco Candido Xavier.

Relembrando Chico.....
.....Chico, nessa noite, estava muito fatigado, quando à hora da prece costumeira, aparece-lhe Dona Maria João de Deus.
- Minha mãe, - roga ao espírito carinhoso - como fazer para alcançar a vitória no cumprimento de meus deveres?
- Meu filho, só conheço um remédio - servir.
- Mas e as dificuldades de entendimento com os outros? Como espalhar as bênçãos do Espiritismo com quem não as deseja, se, às vezes, oferecendo o melhor que possuímos, apenas recolhemos pedradas?
- Servir é a solução.
- Entretanto, há pessoas que nos odeiam gratuitamente. Malsinam-nos as melhores intenções detestam-nos sem motivo e dificultam-nos o mínimo trabalho... Que me diz a senhora? Julga que existe algum recurso para fazer a paz entre elas e nós?
- Sim, há um recurso - servir sempre.
- Então, a senhora considera que, para todos os males da vida, esse é o remédio?
- Sim, meu filho, remédio essencial. Sem que aprendamos a servir, ainda mesmo quando tenhamos boas intenções, tudo em nós será simples palavras que o mundo consome...
E, depois de semelhante receita, o Espírito de Dona Maria retirou-se como quem não tinha outro remédio a ensinar.
"Chico Xavier"
*
*
*
"O que voce coloca no coracao alheio, voce retira da propria vida"
Roque Jacintho.

Há Momentos


Há momentos na vida em que sentimos tanto
a falta de alguém que o que mais queremos
é tirar esta pessoa de nossos sonhos
e abraçá-la.

Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser,
porque você possui apenas uma vida
e nela só se tem uma chance
de fazer aquilo que se quer.

Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.
Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.

As pessoas mais felizes
não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor
das oportunidades que aparecem
em seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem
a importância das pessoas que passam por suas vidas.

O futuro mais brilhante
é baseado num passado intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida
quando perdoar os erros
e as decepções do passado.

A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar
duram uma eternidade.
A vida não é de se brincar
porque um belo dia se morre.

domingo, 21 de novembro de 2010


Podemos acreditar que
tudo que a vida nos oferecerá
no futuro é repetir o que fizemos
ontem e hoje.

Mas, se prestarmos atenção,
vamos nos dar conta
de que nenhum dia é
igual a outro.

Cada manhã traz uma
benção escondida;
uma benção que só
serve para esse dia
e que não se pode guardar
nem desaproveitar.

Se não usamos este milagre
hoje, ele vai se perder.
Este milagre está nos
do cotidiano;

é preciso viver cada minuto
porque ali encontramos a
saída de nossas confusões,
a alegria de nossos bons momentos,
a pista correta para a decisão
que tomaremos.

Nunca podemos deixar que cada
dia pareça igual ao anterior
porque todos os dias são diferentes,
porque estamos em constante
processo de mudança.

AO LEVANTAR-SE


AO LEVANTAR-SE


Agradeça a Deus a benção da vida, pela manhã.
*
Se
você não tem o hábito de orar, formule pensamentos de serenidade e
otimismo, por alguns momentos, antes de retornar as próprias atividades.
*
Levante-se com calma.
*
Se
deve acordar alguém, use bondade, gentileza, reconhecendo que gritaria
ou brincadeiras de mau gosto não auxiliam em tempo algum.
*
Guarde para com tudo e para com todos a disposição de cooperar para o bem.
*
Antes de sair para a execução de suas tarefas, lembre-se de que é preciso abençoar a vida para que a vida nos abençoe.
* * *

Xavier, Francisco Cândido. Da obra: Sinal Verde

SUPERE-SE


Um homem caminhava muito pensativo.
Tinha uma série de problemas, uma série de dificuldades.
Ele sempre carregava consigo o pensamento de que não tinha como ultrapassar aqueles problemas.
Ele era uma pessoa triste, porque vivia tomado pela preocupação de como resolver aquelas coisas todas. Tinha certeza de que não tinha jeito.
Isso estava tão na cara dele que uns amigos o aconselharam a tirar uns dias de férias.
"Parecia que ele iria morrer a qualquer momento de tanta preocupação, tanto desespero."
Era isso o que alguns falavam sobre ele.
Sendo assim ele resolveu ouvir os conselhos e estava ali, andando a beira de um rio, mas sem conseguir tirar a cabeça daqueles problemas. Até que ele reparou em um cão que estava na beira daquele rio. Ele o ficou observando.
Parecia estar quase morto de sede. Ele prestou atenção e viu que toda vez que o cão tentava beber da água do rio ele se assustava com o seu próprio reflexo, achando ser outro cão, e se afastava. Ele ficou ali só observando a atitude do cão.
Até que, não suportando mais tanta sede, o cão decidiu passar por cima daquele medo e mergulhou com tudo no rio. No mesmo instante, o outro cão que o assustava tanto, já que era seu próprio reflexo, desapareceu.
O homem olhou aquilo profundamente e entendeu em seu coração.
Ele descobriu ali que a barreira para a solução que ele tanto buscava era ele mesmo. Era seu próprio medo, seu negativismo, sua atitude. Essas coisas é que o impediam de encontrar o que procurava. E Ele voltou pra casa com esta lição pra mudar o rumo das coisas em sua vida: Supere-se.
Não deixe que você possa ser um obstáculo para sua própria vitória

Não existe segre


Não é preciso muito para ser feliz
A felicidade está dentro de nós
Escondida em um sorriso, oculta em um raio de sol
Cada manhã, quando despertamos com saúde
Cada noite, quando nos chega o sono relaxante
Cada refeição, que a nós alimenta e revigora
São momentos de satisfação, em que tantos não percebem
Que ser feliz é amar o que se tem
Ter como meta viver em harmonia com o universo
Conter as ambições, ser justo e fiel
A riqueza não é sinônimo de felicidade
O ouro não nos traz a paz
A paz está nas pequenas coisas, esse é o nosso tesouro
Ao nosso redor, diariamente encontramos motivos para viver bem
Acredite, ser feliz é estar em paz consigo
E repartir essa felicidade com quem nos cerca
do.Não existe segre

Benjamin de Aguiar pelo Espírito Eugênia


"A vida física é curta demais para que perca tempo com qualquer coisa que não esteja intrinsecamente relacionado ao amor. Ame. Ame agora, ame muito, ame sempre. Tudo é fútil fora do amor. Nada tem verdadeira importância sem amor. Nada faz sentido sem amor. Se puder me ouvir com toda alma agora, querido amigo, prezada amiga, ouça o que lhe digo com todo ardor do coração e guarde bem isso, no mais profundo do seu ser: o amor é tudo."

Benjamin de Aguiar pelo Espírito Eugênia

VALOR DO CARINHO


VALOR DO CARINHO
Se acarinharmos uma rosa
Os espinhos se dissipam
Se beijarmos um rosto
As lágrimas cessam
Se ouvirmos um lamento
As dores se acalentarão
Se tirarmos uma pedra
O tropeço será suave
Se caminharmos passo a passo
Chegamos no lugar desejado
Se tocarmos uma melodia
O coração se enaltece
Se sonharmos com vários tons
O colorido fica mais belo
Se dissermos obrigado
O sorriso aparece.

sábado, 13 de novembro de 2010


Questionar, pensar, repensar, divagar, expor os rabiscos guardados nas estantes pessoais,pois nada é suficientemente diferente para as mentes inquietas e por vezes incompletas....

A função de dar sentido às coisas, fica por conta de cada um, todos os atos e fatos, cursos desviados e verdades contidas no acaso.

Se procura perder seu tempo julgando, rotulando, etiquetando, adjetivando, qualificando, desqualificando e diagnosticando, perdendo a oportunidade de ser um aprendiz.


Se está procurando um lugar para observar, ser observado, costruir barreiras, mostrar o rosto, outras vezes a alma, conviver num celeiro de disparidades, aguçar a curiosidade e afiar os sentimentos.

Mas cuidado!!! O poder de observação e discernimento deve estar alerta, pois até o caos interior deve estar organizado. Os cinco minutos de lucidez, de ausência de egoísmo, de janelas abertas, sorrisos reais, devem servir de suporte para uma palavra importante...a Amizade!

ORAÇÃO DO AMOR
Senhor!
Ilumina meus olhos
para que eu veja os
defeitos da minha alma.
E vendo-os para que eu não
comente os defeitos alheios.
Senhor!
Leva de mim a tristeza
e não a entregueis
a mais ninguém...
Encha meu coração
com a divina fé,
para sempre louvar
o vosso nome.
E arranca de mim o orgulho e presunção.
Senhor!
Faze de mim um ser humano realmente justo,
dá-me a esperança de vencer
minhas ilusões todas.
Planta em meu coração
a sementeira do amor,
e ajuda-me a fazer feliz
o maior número possível
de pessoas.
Para ampliar seus dias risonhos
e resumir suas noites tristonhas.
Transforma meus rivais
em companheiros,
meus companheiros em amigos
meus amigos em
entes queridos...
Não permita que eu seja
um cordeiro perante os fortes,
nem um leão perante os fracos.
Dá-me, Senhor,
o sabor de perdoar
e afasta de mim o desejo
de vingança,
mantendo sempre
em meu coração
somente o amor.

domingo, 29 de agosto de 2010

O Passe Espírita


O passe espírita é simplesmente a imposição das mãos, usada e ensinada por Jesus, como se vê nos Evangelhos. Origina-se das práticas de cura do Cristianismo Primitivo. Sua fonte humana e divina são as mãos de Jesus. Mas há um passado histórico que não podemos esquecer. Desde as origens da vida humana na Terra encontramos os ritos de aplicação dos passes, não raro acompanhados de rituais, como o sopro, a fricção das mãos, a aplicação de saliva e até mesmo a mistura de saliva e terra para aplicação no doente. No próprio Evangelho vemos a descrição da cura de um cego por Jesus usando essa mistura. Mas Jesus agiu sempre, em seus atos e em suas práticas, de maneira anti-ritual, de maneira que essas descrições, feitas entre quarenta e oitenta anos após a sua morte, podem ser apenas influências de costumes religiosos da época. Todo o seu ensino visava a afastar os homens das superstições vigentes no tempo. Essas incoerências históricas, como advertiu Kardec, não podem provir dele, mas dos evangelistas. Caso contrário Jesus teria procedido de maneira incoerente no tocante aos seus ensinos e aos seus exemplos, o que seria absurdo.

O passe espírita não comporta as encenações em que hoje o envolveram alguns teóricos improvisados, geralmente ligados a antigas correntes espiritualistas de origem mágica ou feiticista. Todo o poder e toda a eficácia do passe espírita dependem do espírito e não da matéria., da assistência espiritual do médium passista e não dele mesmo. Os passes padronizados e classificados derivam de teorias e práticas mesméricas, magnéticas e hipnóticas de um passado já há muito superado. Os Espíritos realmente elevados não aprovam nem ensinam essas coisas, mas apenas à prece e a imposição das mãos. Toda a s encenações preparatórias: mãos erguidas ao alto e abertas, para suposta captação de fluídos pelo passista, mãos abertas sobre os joelhos, pelo paciente, para melhor assimilação fluídica, braços e pernas descruzados para não impedir a livre passagem dos fluidos, e assim por diante, só servem para ridicularizar o passe, o passista e o paciente. A formação das chamadas pilhas mediúnicas, com o ajuntamento de médiuns em torno do paciente, as correntes de mãos dadas ou de dedos se tocando sobre a mesa – condenadas por Kardec – nada mais são do que resíduos do mesmerismo do século passado, inúteis, supersticiosos e ridicularizantes.

Todas essas tolices decorrem essencialmente do apego humano às formas de atividades materiais. Julgamo-nos capazes de fazer o que não nos cabe fazer. Queremos dirigir, orientar os fluídos espirituais como se fossem correntes elétricas e manipula-los como se a sua aplicação dependesse de nós. O passista espírita consciente, conhecedor da doutrina e suficientemente humilde para compreender que ele pouco sabe a respeito dos fluídos espirituais – e o que pensa saber é simples pretensão orgulhosa – limita-se à função mediúnica de intermediário. Se pede a assistência dos Espíritos, com que direito se coloca depois no lugar deles? Muitas vezes os Espíritos recomendam que não se faça movimentos com as mãos e os braços para não atrapalhar os passes. Ou confiamos na ação dos Espíritos ou não confiamos e neste caso é melhor não os incomodarmos com os nossos pedidos.

O passe espírita é prece, concentração e doação. Quem reconhece que não pode dar de si mesmo, suplica a doação dos Espíritos. São eles que socorrem aqueles por quem pedimos, não nós, que em tudo dependemos da assistência espiritual.

A técnica do passe não pertence a nós, mas exclusivamente aos Espíritos Superiores. Só eles conhecem a situação real do paciente, as possibilidades de ajuda-lo em face de seus compromissos nas provas, a natureza dos fluídos de que o paciente necessita e assim por diante. Os médiuns vivem a vida terrena e estão condicionados na encarnação que merecem e de que necessitam. Nada sabem da natureza dos fluídos, da maneira apropriada e eficaz de aplica-los, dos efeitos diversos que eles podem causar. Na verdade, o médium só tem uma percepção vaga, geralmente epidérmica, dos fluídos. É simples atrevimento – e portanto charlatanismo – querer manipula-los e distribuí-los a seu modo e a seu critério. As pessoas que acham que os passes ginásticos ou dados em grupos formados ao redor do paciente são passes fortes, assemelham-se às que acreditam mais na força da feitiçaria, com seus apetrechos selvagens, do que no poder espiritual. As experiências espíritas sensatas e lógicas, em todo o mundo, desde os dias de Kardec até hoje, mostraram que mais vale uma prece silenciosa, às vezes na ausência e sem o conhecimento do paciente, do que todas as encenações e alardes de força dos ingênuos que ignoram os princípios doutrinários.

Não há distância para a ação dos passes. Os Espíritos Superiores não conhecem as dificuldades das distâncias terrenas. Podem agir e curar através das maiores lonjuras. Não obstante, não se deve desprezar a importância do efeito psicológico da presença do paciente num ambiente mediúnico ou da presença do passista junto a ele, pelo calor humano e da doação fluídica direta, seja do médium ou também das pessoas que o acompanham. Assim, o passe à distância só deve ser empregado quando for de todo impossível o passe de contacto pessoal.

É muito comum chegarem pessoas ao Centro, ou mesmo dirigindo-se à casa de um médium, pedindo passe com urgência. O passe não pode ser dado a qualquer momento e de qualquer maneira. Deve ser sempre precedido de preparação do passista e do ambiente, bem como do paciente. O médium precisa de preparação para bem se dispor ao ato mediúnico do passe. Atender a esses casos imediatamente é dar prova de ignorância das leis do passe. Tudo depende de sintonias que precisam ser estabelecidas. Sintonia do médium com seu estado íntimo; sintonia do passista com o Espírito que vai atende-lo; sintonia das pessoas presentes com o ambiente que se deve formar no recinto. Tudo isso se consegue através da prece e do interesse de todos pela ajuda ao necessitado.

O passe é uma transfusão de plasma extrafísico certamente composto de partículas livres de anti-matéria. As mãos humanas funcionam, no passe espírita, como antenas que captam e transmitem as energias do plasma vital de anti-matéria. Hoje conhecemos, portanto, toda a dinâmica do passe espírita como transmissão de fluidos no processo aparentemente simplíssimo e eficaz do passe. Não há milagre nem sobrenatural na eficácia do passe, modestamente aplicado e divulgado por Jesus há dois mil anos.

Roteiro da Desobsessão


1 – Ao acordar, diga a si mesmo: Deus me concede mais um dia de experiências e aprendizado. É fazendo que se aprende. Vou aproveitá-lo. Deus me ajuda. (Repita isso várias vezes, procurando manter essas palavras na memória. Repita-as durante o dia).

2 – Compreenda que a obsessão é um estado de sintonia da sua mente com mentes desequilibradas. Corte essa sintonia ligando-se a pensamentos bons e alegres. Repila as idéias más. Compreenda que você nasceu para ser bom e normal. As más idéias e os maus pendores existem para você vencê-los, nunca para se entregar.

3 – Mude a sua maneira de encarar os semelhantes. Na essência, somos todos iguais. Se ele está irritado, não entre na irritação dele. Ajude-o a se reequilibrar, tratando-o com bondade. A irritação é sintoma de obsessão. Não se deixe envolver pela obsessão do outro. Não o considere agressivo. Certamente ele está sendo agredido e reage erradamente contra os outros. Ajude-o que será também ajudado.

4 – Vigie os seus sentimentos, pensamentos e palavras nas relações com os outros. O que damos, recebemos de volta.

5 – Não se considere vítima. Você pode estar sendo algoz sem perceber. Pense nisso constantemente, para melhorar as suas relações com os outros. Viver é permutar. Examine o que você troca com os outros.

6 – Ao sentir-se abatido, não entre na fossa. É difícil sair dela. Lembre-se que você está vivo, forte, com saúde e dê graças a Deus por isso. Seus males são passageiros, mas se você os alimentar eles durarão. É você que sustenta os seus males. Cuidado com isso.

7 – Freqüente a instituição espírita com que se sintoniza. Não fique pulando de uma para outra. Quem não tem constância nada consegue.

8 – Se você ouve vozes, não lhes dê atenção. Responda simplesmente: Não tenho tempo a perder. Tratem de se melhorar enquanto é tempo. Vocês estão a caminho do abismo. Cuidem-se. E peça aos Espíritos Bons, em pensamento, por esses obsessores.

9 – Se você sente toques de dedos ou descargas elétricas, repila esses espíritos brincalhões da mesma maneira e ore mentalmente por eles. Não lhes dê atenção nem se assuste com esses efeitos físicos. Leia diariamente, de manhã ou à noite, ao deitar-se, um trecho de O Evangelho Segundo o Espiritismo e medite sobre o que leu. Abra o livro ao acaso e não pense que a lição é só para você. Geralmente é para os obsessores, mas você também deve aproveitá-la. No caso de visões a técnica é a mesma. Nunca se amedronte. É isso que eles querem, pois com isso se divertem. Esses pobres espíritos nada podem fazer, além disso, a menos que você queira brincar com eles, o que lhe custará seu aumento da obsessão. Corte as ligações que eles querem estabelecer com você, usando o poder da sua vontade. Se fingirem ser um seu parente ou amigo falecido, não se deixe levar por isso. Os amigos e parentes se comunicam em sessões regulares, não querem perturbar.

10 – Estude a Doutrina nas obras de Kardec, começando pelo livro Iniciação Espírita.

Obsessão


A obsessão se caracteriza pela ação de entidades espirituais inferiores sobre o psiquismo humano. Kardec distinguiu, em suas pesquisas, três graus do processo obsessivo: obsessão simples, subjugação e fascinação. No primeiro grau a infestação espiritual atinge a mente causando perturbações mentais; no segundo grau amplia-se aos centros da afetividade e da vontade, afetando os sentimentos e o sistema psico-motor, levando o obsedado a atitudes e gestos estranhos e tiques nervosos; no terceiro grau afeta a própria consciência da vítima, desencadeando processos alucinatórios.

As causas da obsessão decorrem de vários fatores, dos quais os mais freqüentes são: problemas reencarnatórios, tendências viciosas, egoísmo excessivo, ambições desmedidas, aversão a certas pessoas, ódio, sentimentos de vingança, futilidade, vaidade exagerada, apego ao dinheiro e assim por diante. Essas disposições da criatura atraem espíritos afins que a envolvem e são aceitos por ela como companheiros invisíveis. Os espíritos obsessores não são os únicos culpados da obsessão. Geralmente o maior culpado é a vítima.

Na Antiguidade a obsessão era tratada com violência. As práticas do exorcismo, até hoje vigentes no Judaísmo e no Catolicismo, destinam-se a afastar o demônio de maneira agressiva e violenta. No Espiritismo o método empregado é o da persuasão progressiva do obsessor e do obsedado. É o que se chama de doutrinação, ou seja, esclarecimento de ambos à luz da Doutrina Espírita. Não se usa nenhum ingrediente material e nenhum objeto especial. Emprega-se apenas a prece e a conversação persuasiva. Esclarecido o obsedado, atinge-se o obsessor, que ficam, por assim dizer, vacinados contra novas ocorrências obsessivas.

Resumo da Doutrina Espírita


Deus é eterno, imutável, imaterial, único, todo-poderoso, soberanamente justo e bom.

Criou o Universo que compreende todos os seres animados e inanimados, materiais e imateriais. Os seres materiais constituem o mundo visível ou corporal e os seres imateriais o mundo invisível ou espírita, ou seja, dos Espíritos.

O mundo espírita é o mundo normal, primitivo, eterno, preexistente e sobrevivente a tudo. O mundo corporal não é senão secundário; poderia cessar de existir, ou não ter jamais existido, sem alterar a essência do mundo espírita.

Os Espíritos revestem, temporariamente, um envoltório material perecível, cuja destruição, pela morte, os torna livres.

Entre as diferentes espécies de seres corpóreos, Deus escolheu a espécie humana para a encarnação dos Espíritos que atingiram um certo grau de desenvolvimento, o que lhes dá a superioridade moral e intelectual sobre outros.

A alma é um Espírito encarnado, do qual o corpo não é senão um envoltório.

Há no homem três coisas: 1o – o corpo ou ser material análogo aos dos animais e animado pelo mesmo princípio vital; 2o – a alma ou ser imaterial, Espírito encarnado no corpo; 3o – o laço que une a alma ao corpo, princípio intermediário entre a matéria e o Espírito.

O homem tem assim duas naturezas: pelo corpo, participa da natureza dos animais, dos quais tem o instinto; pela alma, participa da natureza dos Espíritos.

O laço ou perispírito que une o corpo e o Espírito é uma espécie de envoltório semi-material. A morte é a destruição do envoltório mais grosseiro, o Espírito conserva o segundo, que constitui para ele um corpo etéreo, invisível para nós no estado normal, mas que pode, acidentalmente, tornar-se visível e mesmo tangível, como ocorre no fenômeno das aparições.-

O Espírito não é assim um ser abstrato, indefinido, que só o pensamento pode conceber; é um ser real, circunscrito, que, em certos casos, é apreciado pelos sentidos da visão, audição e tato.

Os Espíritos pertencem a diferentes classes e não são iguais nem em força, nem em inteligência, nem em saber, nem em moralidade.

Os da primeira ordem são os Espíritos superiores, que se distinguem dos outros pela sua perfeição, seus conhecimentos, sua aproximação de Deus, a pureza de seus sentimentos e seu amor ao bem; são os anjos ou Espíritos puros. As outras classes se distanciam cada vez mais dessa perfeição; os das classes inferiores são inclinados à maioria das nossas paixões: o ódio, a inveja, o ciúme, o orgulho, etc.; eles se comprazem no mal. Entre eles há os que não são muito bons nem muito maus, mais trapalhões e importunos que maus, a malícia e as inconseqüências parecem ser sua diversão: são os Espíritos estouvados ou levianos.

Os Espíritos não pertencem perpetuamente à mesma ordem. Todos progridem, passando por diferentes graus de hierarquia espírita.

Esse progresso ocorre pela encarnação, que é imposta a uns como expiação e a outros como missão. A vida material é uma prova que devem suportar por várias vezes, até que hajam alcançado a perfeição absoluta. É uma espécie de exame severo ou depurador, de onde eles saem mais ou menos purificados.

Deixando o corpo, a alma reentra no mundo dos Espíritos, de onde havia saído, para retomar uma nova existência material, depois de um lapso de tempo mais ou menos longo, durante o qual permanece no estado de Espírito errante.

O Espírito, devendo passar por várias encarnações, disso resulta que tivemos várias existências e que teremos ainda outras, mais ou menos aperfeiçoadas, seja sobre a Terra, seja em outros mundos.

A encarnação dos Espíritos ocorre sempre na espécie humana: seria um erro acreditar que a alma ou Espírito possa se encarnar no corpo de um animal.

As diferentes existências corporais dos Espíritos são sempre progressivas e jamais retrógradas; mas a rapidez do progresso depende dos esforços que fazemos para atingir a perfeição.

As qualidades da alma são a do Espírito que está encarnado em nós; assim, o homem de bem é a encarnação do bom Espírito, e o homem perverso a de um Espírito impuro.

A alma tinha sua individualidade antes da sua encarnação e a conserva depois da sua separação do corpo.

Na sua reentrada no mundo dos Espíritos, a alma aí reencontra todos aqueles que conheceu sobre a Terra, e todas as suas existências anteriores se retratam em sua memória com a lembrança de todo o bem e de todo o mal que fez.

O Espírito encarnado está sob a influência da matéria; o homem que supera essa influência pela elevação e depuração de sua alma, se aproxima dos bons Espíritos com os quais estará um dia. Àquele que se deixa dominar pelas más paixões e coloca toda a sua alegria na satisfação dos apetites grosseiros, se aproxima dos Espíritos impuros, dando preponderância à natureza animal.

Os Espíritos encarnados habitam os diferentes globos do Universo.

Os Espíritos não encarnados ou errantes não ocupam uma região determinada e circunscrita; estão por toda a parte, no espaço e ao nosso lado, nos vendo e nos acotovelando sem cessar; é toda uma população invisível que se agita em torno de nós.

Os Espíritos exercem, sobre o mundo moral e mesmo sobre o mundo físico, uma ação incessante. Agem sobre a matéria e sobre o pensamento, e constituem uma das forças da Natureza, causa eficiente de uma multidão de fenômenos, até agora inexplicados, ou mal explicados, e que não encontram uma solução racional senão no Espiritismo.

As relações dos Espíritos com os homens são constantes. Os bons Espíritos nos solicitam para o bem, nos sustentam nas provas da vida e nos ajudam a suporta-las com coragem e resignação; os maus nos solicitam ao mal: é para eles uma alegria nos ver sucumbir e nos assemelharmos a eles.

As comunicações dos Espíritos com os homens são ocultas ou ostensivas. As ocultas ocorrem pela influência, boa ou má, que eles exercem sobre nós com o nosso desconhecimento; cabe ao nosso julgamento discernir as boas e más inspirações. As comunicações ostensivas ocorrem por meio da escrita, da palavra, ou outras manifestações materiais, e mais freqüentemente por intermédio dos médiuns que lhes servem de instrumento.

Os Espíritos se manifestam espontaneamente ou por evocação. Podem-se evocar todos os Espíritos: aqueles que animaram homens obscuros, como aqueles de personagens mais ilustres, qualquer que seja a época na qual tenham vivido; os de nossos parentes, de nossos amigos ou de nossos inimigos, e com isso obter, por comunicações escritas ou verbais, conselhos, informações sobre a sua situação no além-túmulo, sobre seus pensamentos a nosso respeito, assim como as revelações que lhes são permitidas nos fazer.

Os Espíritos são atraídos em razão de sua simpatia pela natureza moral do meio que os evoca. Os Espíritos superiores se alegram nas reuniões sérias onde dominem o amor do bem e o desejo sincero de se instruir e se melhorar. Sua presença afasta os Espíritos inferiores que aí encontram, ao contrário, um livre acesso, e podem agir com toda liberdade entre as pessoas frívolas ou guiadas só pela curiosidade, e por toda parte onde se encontrem os maus instintos. Longe de deles obter bons avisos ou ensinamentos úteis, não se deve esperar senão futilidades, mentiras, maus gracejos ou mistificações, porque eles tomam emprestado, freqüentemente, nomes venerados para melhor induzir ao erro.

A distinção dos bons e dos maus Espíritos é extremamente fácil. A linguagem dos Espíritos superiores é constantemente digna, nobre, marcada pela mais alta moralidade, livre de toda paixão inferior; seus conselhos exaltam a mais pura sabedoria, e têm sempre por objetivo nosso progresso e o bem da Humanidade. A dos Espíritos inferiores, ao contrário, é inconseqüente, freqüentemente trivial e mesmo grosseira; se dizem por vezes coisas boas e verdadeiras, mais freqüentemente, dizem coisas falsas e absurdas, por malícia ou por ignorância. Eles se divertem com a credulidade e se distraem às custas daqueles que os interrogam, se vangloriando da sua vaidade, embalando seus desejos com falsas esperanças. Em resumo, as comunicações sérias, na total acepção da palavra, não ocorrem senão nos centros sérios, naqueles cujos membros estão unidos por uma comunhão de pensamentos para o bem.

A moral dos Espíritos superiores se resume, como a do Cristo, nesta máxima evangélica: “Agir para com os outros como quereríamos que os outros agissem para conosco”; quer dizer, fazer o bem e não fazer o mal. O homem encontra neste princípio a regra universal de conduta para as suas menores ações.

Eles nos ensinam que o egoísmo, o orgulho, a sensualidade, são paixões que nos aproximam da natureza animal e nos prendem à matéria; que o homem que, desde este mundo, se desliga da matéria pelo desprezo das futilidades mundanas, e pelo amor ao próximo, se aproxima da natureza espiritual; que cada um de nós deve se tornar útil segundo suas faculdades e os meios que Deus colocou entre suas mãos para o provar; que o Forte e o Poderoso devem apoio e proteção ao Fraco, porque aquele que abusa de sua força e do seu poder, para oprimir seu semelhante, viola a lei de Deus. Ensinam, enfim, que, no mundo dos Espíritos, nada podendo ser oculto, o hipócrita será desmascarado e todas as suas torpezas descobertas; que a presença inevitável, e de todos os instantes, daqueles para com os quais agimos mal, é um dos castigos que nos estão reservados; que ao estado de inferioridade e de superioridade dos Espíritos são fixados penas e gozos que nos são desconhecidos sobre a Terra.

Mas eles nos ensinam também que não há faltas irremissíveis, e que não possam ser apagadas pela expiação. O homem encontra o meio, nas diferentes existências, que lhe permite avançar, segundo seu desejo e seus esforços, na senda do progresso e na direção da perfeição que é seu objetivo final.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Como fazer acontecer


Algum tempo atrás recebemos, com alegria, um pequeno folheto, produzido por uma empresa de material escolar, intitulado "como fazer acontecer".

Nele encontramos uma lista de dicas, de orientações muito seguras para conseguirmos sucesso nas empreitadas de nossa vida.

Sob o subtítulo de "caminhos para um efetivo fazer acontecer", lemos o seguinte:

Primeiro: visualize, com detalhes, como se tudo já estivesse realizado - imagine com pormenores o estado desejado. Essa imagem cristalina é algo que irá naturalmente orientá-lo quanto ao que deve ser feito, como começar, etc.

Segundo: dê rapidamente o primeiro passo - confie nos "lampejos" que você tem. Se você sente confiança interior, aja sem hesitação e dê o primeiro passo. A natureza fará a seqüência acontecer.

Terceiro: faça tudo de corpo e alma - não seja "morno", "fazendo por fazer". Até o impossível se torna possível quando nos envolvemos integralmente.

Quarto passo: faça tudo com boa vontade e prazer - a probabilidade de dar certo aumenta tremendamente quando fazemos tudo com a mente alegre.

Quinto: seja otimista - não se deixe influenciar pelos cínicos e pelos pessimistas. Ajude a construir o ideal, a cada dia dando o passo do dia.

Sexto: concentre-se em seus pontos fortes - ao invés de se deixar bloquear por eventuais pontos fracos, ancore-se no que você tem de melhor.

Sétimo: concentre energia - evite desperdiçá-la fazendo as coisas pela metade, ou começando muitos projetos sem nada concluir.

Oitavo: seja natural - não se deixe derrotar pelo "excesso de esforço". Faça o que tem que ser feito e mantenha a tranqüilidade interior. Dê espaço e tempo para a natureza também fazer a sua parte.

Nono passo: seja transparente - nem sequer pense desonestamente, pois isso drena sua energia. Já imaginou quanto de energia gastamos para "proteger" a mentira contada ontem? Ser transparente faz multiplicar energia.

Décimo: seja generoso - "a generosidade move montanhas." As coisas fluem melhor à sua volta porque a generosidade faz agir. Picuinhas, ao contrário, imobilizam as pessoas.

Décimo primeiro: aja sempre com justiça, isto é, evite a postura de tirar vantagem de tudo. Aja pensando em benefícios para todos. As coisas passam a acontecer com mais fluidez.

Décimo segundo passo: confie 100% em sua força interior - fazer acontecer exige fé, principalmente em si mesmo. É essa convicção que o deixa solto para fazer o que é necessário.

Finalmente, décimo terceiro: busque excelência, sempre - um fazer acontecer efetivo deve estar ancorado na busca do melhor, do perfeito, do ideal. O tempo que levaremos para chegar à perfeição é outra coisa. O alvo, porém, deve sempre ser a perfeição.

***

A acomodação pode tornar-se um vício perigoso em nossa vida.

Utilizamos a palavra vício, pois se permitirmos, ela vai nos dominando, nos dominando, até fazer parte de nosso estado natural de ser.

O que começa hoje com uma pequena preguiça, com um pequeno desânimo, pode ganhar proporções maiores e nos lançar a processos de depressão e tristeza.

Assim, permaneçamos atentos a qualquer indício destes sentimentos que não são nada bem-vindos, e logo os espantemos para longe de nós.



Luz e Paz

terça-feira, 10 de agosto de 2010

Você acredita em bruxarias e trabalhos de amarrações?


Você acredita em bruxarias e trabalhos de amarrações?
No Espiritismo não encontraremos esse tipo de prática, pois a Doutrina Espírita nos orienta a viver em conformidade com as leis naturais, que são as leis de Deus. Segundo uma dessas leis, a de Causa e Efeito, recebemos de volta os efeitos de nossas ações. Se agimos no bem, teremos o bem de retorno. Se praticamos o mal, este voltará a nós. Em sendo assim, o recomendável, por ser mais inteligente, é exercitar o amor e a caridade, praticar o perdão das ofensas e a indulgência para com as imperfeições dos outros, desejar o bem a todos, inclusive aos que consideramos como nossos inimigos. Agindo assim receberemos dos outros os bons pensamentos, a gratidão, os mesmos valores que a eles direcionamos. É este o verdadeiro sentido da vida, capaz de nos trazer a felicidade e o bem-estar. Outra lei, a da Liberdade, estabelece que não devemos ser constrangidos a fazer ou deixar de fazer alguma coisa. Segundo essa mesma lei, os nossos direitos terminam quando começam os direitos do próximo. Não poderemos ter uma convivência harmoniosa e pacífica, senão vivendo consoante esse princípio legal. A ninguém é dado o direito e nem o poder de obrigar alguém a gostar de outrem, pois essa escolha deve ser de livre e espontânea vontade. Qualquer violação desse direito redundará em prejuízos que exigirão sejam reparados, mais cedo ou mais tarde.

sábado, 26 de junho de 2010

Tudo na vida tem um propósito...Por mais simples que possa parecer,nada acontece por acaso.


A pouco estava lendo o Evangelho, entã decidi hoje falar um pouco do Egoismo, esta chaga da humanidade que deve desaparecer do nosso planeta, porque impede o nosso progresso moral!!
É ao espiritismo que cabe a tarefa de fazê-la elevar-se na hierarquia dos mundos. O egoismo é o alvo para o qual todos os verdadeiros crentes devem dirigir suas armas, suas forças e sua coragem... Digo coragem porque esta é a qualidade mais necessária para vencer-se a si mesmo do que para vencer aos outros. Que cada qual portanto, dedique toda a sua atenção em combatê-lo em si próprio, pois esse monstro devorador de todas as inteligências, esse filho do orgulho, é a fonte de todas as miserias terrenas... é a negação da caridade, e por isso mesmo o maior obstaculo à felicidade dos homens...
Pense nisso!!!!

Ame as pessoas ao seu redor


Viver não é doar um pouco É doar sempre
Não é apenas suportar a ofensa É esquecê-la
Não é compadecer
É ajudar mesmo que isso se torne incômodo
Viver não é simplesmente sorrir
É mais do que isso
É fazer alguém sorrir
Viver, não é medir sua ajuda
É ajudar sem medir
Não é ajudar somente quem está perto
Mas estar sempre perto para ajudar
Quem realmente vive e ama, não faz o que pode Faz o impossível
Viver é sempre dizer aos outros que eles são importantes
Que nós o amamos porque um dia eles se vão
e ficamos com a nítida impressão de que não o amamos o suficiente

Ame as pessoas ao seu redor
diga-lhes o quanto elas significam para você
perceba que a felicidade é uma coisa tão simples
que você pode alcançá-la num só gesto
Desde que esse gesto transmita tudo de bom que existe em você
Desde que signifique SINCERIDADE
Desde que demonstre AMOR
Ame as pessoas como se não houvesse amanhã

terça-feira, 22 de junho de 2010




“Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma
do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos
lugares. É tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para
sempre, à margem de nós mesmos.”

quarta-feira, 16 de junho de 2010

A Casa Queimada


Um certo homem saiu em uma viagem de avião. Era um homem temente a Deus, e sabia que Deus o protegeria. Durante a viagem, quando sobrevoavam o mar um dos motores falhou e o piloto teve que fazer um pouso forçado no oceano. Quase todos morreram, mas o homem conseguiu agarrar-se a alguma coisa que o conservasse em cima da água. Ficou boiando à deriva durante muito tempo até que chegou a uma ilha não habitada.

Ao chegar à praia, cansado, porém vivo, agradeceu a Deus por este livramento maravilhoso da morte. Ele conseguiu se alimentar de peixes e ervas. Conseguiu derrubar algumas arvores e com muito esforço conseguiu construir uma casinha para ele. Não era bem uma casa, mas um abrigo tosco, com paus e folhas. Porém significava proteção. Ele ficou todo satisfeito e mais uma vez agradeceu a Deus, porque agora podia dormir sem medo dos animais selvagens que talvez pudessem existir na ilha.

Um dia, ele estava pescando e quando terminou, havia apanhado muitos peixes. Assim com comida abundante, estava satisfeito com o resultado da pesca. Porém, ao voltar-se na direção de sua casa, qual tamanha não foi sua decepção, ao ver sua casa toda incendiada. Ele se sentou em uma pedra chorando e dizendo em prantos:

"Deus! Como é que o Senhor podia deixar isto acontecer comigo? O Senhor sabe que eu preciso muito desta casa para poder me abrigar, e o Senhor deixou minha casa se queimar todinha. Deus, o Senhor não tem compaixão de mim?"

Neste mesmo momento uma mão pousou no seu ombro e ele ouviu uma voz dizendo:

"Vamos rapaz?"

Ele se virou para ver quem estava falando com ele, e qual não foi sua surpresa quando viu em sua frente um marinheiro todo fardado e dizendo:

"Vamos rapaz, nós viemos te buscar".
"Mas como é possível? Como vocês souberam que eu estava aqui?"
"Ora, amigo! Vimos os seus sinais de fumaça pedindo socorro. O capitão ordenou que o navio parasse e me mandou vir lhe buscar naquele barco ali adiante."

Os dois entraram no barco e assim o homem foi para o navio que o levaria em segurança de volta para os seus entes queridos.

Quantas vezes nossa "casa se queima" e nós gritamos como aquele homem gritou? Em Romanos 8:28 lemos que todas as coisas contribuem para o bem daqueles que amam a Deus.

Às vezes, é muito difícil aceitar isto, mas é assim mesmo. É preciso crer e confiar!

Hora de Luz

Quando tudo te pareça frustração e impedimento;
no instante em que a solidão te obrigue
a pensar e repensar;
em observando os recursos necessários à
própria subsistência cada vez mais distantes;
no momento em que os melhores amigos
te considerem incapaz para o serviço a fazer;
na travessia de grandes desgostos;
nas épocas de crise, quando a provação
te procure para demoradas visitas;
ouvindo os pregoeiros do pessimismo e do
desalento; diante das ocorrências complicadas
e dolorosas; quando o desânimo te ameace;
ou na ocasião em que todas as circunstâncias
surjam conjugadas como que te favorecendo a
ignorância e o desequilíbrio;
guarda a certeza de que estás atingindo a
hora de luz em que desfrutas a oportunidade
de revelar a força de tua fé e o ensejo bendito
em que podes, com a bênção de Deus,
esquecer o mal e fazer o bem.

***Emmanuel ***

Bjksss

segunda-feira, 14 de junho de 2010


A formiga é pequena, mas elas são um exército quando juntas
Raul Seixas

Ninguém morre. As pessoas despertam do sonho da vida.
Raul Seixas

Do materialismo ao espiritualismo é uma simples questão de esperar esgotarem-se os limites do primeiro.
Raul Seixas

Quando lhe jurei meu amor, eu traí a mim mesmo...
Raul Seixas

Quero dizer agora o oposto do que eu disse antes
Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo...
Raul Seixas

Quero a certeza dos loucos que brilham. Pois se o louco persistir na sua loucura, acabará sábio
Raul Seixas
Somos prisioneiros da vida e temos que suportá-la até que o último viaduto nos invada pela boca adentro e viaje eternamente em nossos corpos
Raul Seixas

Sim, curvo-me ante a beleza de ser
às vezes zombo de mim mesmo ao término de uma
inteligente e aguçada constatação.
Ermitão do insólito, poeta da dúvida
Entretanto duvido a dúvida por ser dúvida
fruto de uma premissa lógica
Mas nego, afirmo e não duvido de nada
Prisioneiro sem grade desse silêncio eterno.
Raul Seixas

Antes de ler o livro que o guru lhe deu, você tem que escrever o seu
Raul Seixas

Logica e razão são coisas da terra. Eu divido as coisas da terra, coisas do universo e coisas da coisa. E as coisas da coisa, minha filha, essas é que são o negócio, entende? Quem é que pode explicá-las?
Raul Seixas


Meu egoísmo é tão egoísta que o auge do meu egoísmo é querer ajudar
Raul Seixas

De que o mel é doce é coisa que eu me nego a afirmar, mas que parece doce eu afirmo plenamente
Raul Seixas


A arte de ser louco é jamais cometer a loucura de ser um sujeito normal
Raul Seixas

segunda-feira, 31 de maio de 2010


Há mãos q sustentam e mãos q abalam.
Mãos q limitam e mãos q ampliam.
Mãos q denuciam e mãos q escondem os denunciados.
Mãos q se abrem e mãos q se fecham.
Há mãos q afagam e mãos q agridem.
Mãos q ferem e mãos q cuidam das feridas.
Mãos q destroem e mãos q edificam.
Mãos q batem e mãos q recebem as pancadas dos outros.
Há mãos q apontam e guiam e mãos q desviam.
Mãos q são temidas e mãos q são desejadas e queridas.
Mãos q dão com arrogância e mãos q se escondem ao dar.
Mãos puras e mãos q carregam censuras.
Há mãos q escrevem para promover e mãos q escrevem para ferir.
Há mãos q apertam por amizade e mãos q se empurram por ódio.
Mãos furtivas q traficam destruição e mãos amigas q desviam a ruina.
Mãos finas q provam a dor e mãos rudes q espalham amor.
Mãos q oram e imploram e mãos que se devoram.
Mãos de caim q matam.
Mãos de jacó q enganam.
mãos de judas q entregam.
Mas há também as mãos de simão,q carregam a cruz,e as mãos de verônica q enxugam o rosto de jesus.

luz da prece.


1.Comece o dia acendendo no peito a luz da prece.
2. Envie aos amigos um pensamento de amor e envolva
os desafetos em vibrações de paz.
3. Verifique a sua agenda e trace as suas metas para
hoje de modo a não perder tempo.
4. Estampe no rosto um sorriso fraterno e coloque nos
lábios palavras de gentileza.
5. Não se mostre pessimista, mas não espere atravessar
o dia sem problemas.
6. Afaste-se da crítica destrutiva, procurando encorajar
os companheiros nas lutas em que se empenham.
7. Olvide os pequeninos aborrecimentos e esforce-se para
superar esse ou aquele contra-tempo, predispondo-se a
compreender e perdoar sempre.
8. Aprenda a guardar silêncio para que saiba falar no
momento oportuno.
9. Não deixe passar a oportunidade de fazer o bem a quantos
se aproximem de seus passos.

O Centro Espírita


O Centro Espírita é importante núcleo educativo no vasto instituto da família humana, onde recolhemos sublimes inspirações que nos induzem ao auto-aperfeiçoamento e nos ensejam o dever do auxílio mútuo no plantio do amor.

Imaginemo-lo na complexidade de usina e laboratório, hospital e escola, núcleo de pesquisas e célula de experiências valiosas, onde o coração e o cérebro se entreguem a inadiáveis tarefas de abnegação e fraternidade, de equilíbrio e união, de estudo e luz.

Abençoado lar de nossas almas, recorda-nos a efetiva integração na grande família universal.

Sentindo-lhe a missionária participação na atualidade de nossos destinos, abracemos responsabilidades e encargos na Casa Espírita, evitando, quanto possível, que a instituição cresça ao sabor da casualidade, relegando à inspiração de benfeitores espirituais zelos e providências inerentes aos encarnados.

Findas as primeiras emoções no contato com as verdades espirituais, deixemos que a razão nos governe os sentimentos, a fim de que o Centro Espírita se alteie, disciplinado e nobre, conservando seu potencial de atividades futuras, à feição da semente, exuberante de esperanças, entremostrando nos tenros rebentos os germes que organizarão os diversos departamentos do vegetal superior, transformadores da seiva nutris em frutos sazonados.

Evitemos as improvisações na sementeira da fé. Dois mil anos de experiências no Cristianismo são preciosas lições que não se pode desprezar.

A Casa Espírita guardará, por certo, a simplicidade do templo de corações, mas não poderá fugir às destinações de educandário de almas.

Adequar-lhe a ambiência física, com vistas às suas finalidades precípuas, é conseqüência inadiável de nossa vivência à luz do bom senso, que jamais se compadece com a inoperância de tudo relegar à determinação única dos Espíritos.

Observemos, em breves comparações, os valores da cultura terrestre determinando eficiente orientação para o progresso geral, criando nos bastidores de suas conquistas, ambientes propícios ao desenvolvimento de suas atividades. Aqui, reconhecemos que os redutos de instrução pedem salas adequadas, do pré-escolar ao estudo de nível superior; ali, verificamos que os laboratórios médicos exigem implementos próprios, em meio asséptico; adiante, anotamos os engenhos da cibernética reclamando da tecnologia crescente, compartimentos especiais para que funcionem a contento, amparando o progresso...

Se as conquistas transitórias da mente reclamam tempo e espaço adequados às manipulações do estudo digno, estipulando em média quinze anos no labor ininterrupto com os livros para que os diplomas rotulem o conhecimento especializado, que não dizer das aquisições perenes do Espírito no trato com a moral sublime onde a religião reserva à fé seu galardão de luz?

Contemplemos o recanto de terra trabalhada pelo agricultor. Após o primeiro instante do êxtase sob a força do ideal, o lidador do solo entrega-se, cheio de afã, a arrotear o campo, dividindo a área cultivada em compartimentos destinados a este ou aquele cultivo.

O Centro Espírita não deve crescer, igualmente, ao influxo de nosso puro sentimentalismo, que nem sempre reflete amadurecimento, segurança ou equilíbrio.

Entendemos, assim, a importância do movimento unificador da Doutrina, cujas Instituições mas experientes orientarão o crescimento equilibrado dos novos núcleos, ainda carentes de previsão e segurança.

A família cuidadosa edificará o domicílio acolhedor, prevendo, para melhor prover, departamentos nos quais acolherá a prole querida, nos quais atenderá às obrigações sociais e montará o indispensável laboratório da alimentação e saúde.

Similarmente, a Casa Espírita há de surgir, crescer e desenvolver-se, considerando suas definições próprias nos cenários humanos.

É indispensável a sala de orações onde nos entregamos de igual modo aos estudos públicos do Evangelho e da Vida ou à conversação discreta com irmãos enfermiços do plano espiritual. Contudo, bem maior é a responsabilidade, ainda não percebida por todos os espíritas, de mobilizar todos os recursos possíveis, à instrução, orientação e educação dos encarnados, seja na infância, na mocidade, na madureza ou na velhice, a fim de que se desincumbam com êxito de suas tarefas.

O Centro Espírita será, antes de tudo, o estabelecimento educativo para encarnados, de vez que o plano espiritual não se abstém de organizar a ambiência adequada ao amparo dos desencarnados.

Atentos, pois, à organização jurídico-social de nossas instituições, sem nos descurarmos dos encargos econômicos impostos pelo cotidiano, observemos, com singular ênfase, sua adequação física com vistas ao funcionamento ideal dos núcleos doutrinários vigilantes no conhecimento de que o Centro Espírita, ainda que singelo e pequenino, exigirá de cada um de nós dignidade de convicção e fé, bem como disciplina e elevação no sublime sacerdócio que nos cabe no santuário de nossa renovação espiritual.

Guillon Ribeiro

(Mensagem psicografada em reunião pública da Casa Espírita Cristã, em 02/02/1969, pelo médium Júlio Cezar Grandi Ribeiro)

Fonte: Reformador de Agosto de 1976

domingo, 30 de maio de 2010




A vida é uma incógnita onde somente e fé e o tempo são capazes de proporcionar a certeza.
Sábio é o homem que acredita em sí e na sua evolução, aceitando de forma simples a realidade.
Tendo como armas em sua defesa a virtude da paciência e a coragem de entendimento.
Aproveita as oportunidades e momentos que sua intuição lhe aconselha transparentemente.
Independente de qual seja o resultado, pois tudo é positivo perante o CriadorTodos os dias Deus nos dá um momento em que é possível mudar
tudo que
nos deixa infelizes.

O instante mágico é o momento em que um "sim" ou
um "não" pode mudar toda a nossa existênciaNunca tenha medo de enfrentar os obstáculos que estão no seu caminho. Lute, persevere e tenha fé, pois Deus sempre estará Te guiando e Te auxiliando sempre.


ERRO mas no Fim tudo dá CERTO!

   Todos nois erramos, mas afinal
errar é humano. Mas quem nunca fez o ERRADO que
sem querer deu CERTO, faz parte da vida errar,
      mais o da certo não sei.
Dar sentindo a vida é missão de amor.
Quanto mais somos capazes de amar
e de nos dedicar a alguém, tanto mais
plena de sentindo se torna nossa vida”.
Você é do tamanho de sua fé
E vale tanto quanto a grandeza
do seu amor.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

O Culto do Evangelho no Lar

O que é o Culto do Evangelho no Lar ???

Trata-se do estudo do Evangelho de Jesus em reunião familiar. O Culto do Evangelho no Lar, realizado no ambiente doméstico, é precioso empreendimento que traz diversos benefícios às pessoas que o praticam e os que moram no ambiente, Quando o Culto do Evangelho no Lar é praticado fielmente à data e ao horário semanal estabelecidos, atrai-se para o convívio doméstico Espíritos Superiores, que orientam e amparam, estimulam e protegem a todos.

A presença de Espíritos iluminados no Lar afasta aqueles de índole inferior, que desejam a desunião e a discórdia. O ambiente torna-se posto avançado da Luz, onde almas dedicadas ao Bem estarão sempre presentes, quer encarnadas, quer desencarnadas.As pessoas habituadas à oração, ao estudo e à vivência cristã, tornam-se mais sensíveis e passíveis às inspirações dos Espíritos Mentores.COMO FAZER O CULTO DO EVANGELHO NO LAR?

01 - ESCOLHA DO LOCAL

Escolhe-se um dia da semana e hora em que seja possível a presença de todos os familiares ou da maior parte deles, observando-se com rigor a sua constância e pontualidade, para facilitar a assistência espiritual.A direção do Culto do Evangelho no Lar caberá a um dos cônjuges ou a pessoa que disponha de maiores conhecimentos doutrinários. Cabe lembrar, no entanto, que por se tratar de um estudo em grupo não é necessária a presença de pessoas com cultura doutrinária. Na pureza dos ideais e na sinceridade das intenções, todos aprenderão juntos, auxiliando-se mutuamente. É importante que os temas sejam discutidos com a participação de todos, na medida do possível, sem imposições, para evitar-se constrangimentos.Deve-se buscar um ambiente amistoso, de respeito, pois, viver e falar com Jesus é uma felicidade que não se deve desprezar. Antes do início da reunião, prepara-se o local, colocando-se em cima da mesa água pura, em uma garrafa ou vasilha equivalente, para ser beneficiada pelos Benfeitores Espirituais, em nome de Jesus.


02- Leitura de uma mensagem
A leitura inicial de uma mensagem poderá, após, ser comentada ou não. Ela tem por objetivo propiciar um equilíbrio emocional, procurando harmonizá-lo com os ideais nobres da vida, a fim de facilitar melhor aproveitamento das lições. Poderemos lembrar obras com "Pão Nosso", "Fonte Viva", "Vinha de Luz", "Caminho, Verdade e Vida", "Palavras de Vida Eterna", "Ementário Espírita", "Glossário Espírita Cristão".

03- Prece Inicial
"Dando curso ao salutar programa iniciado por Jesus, o de reunir-se com os discípulos para os elevados cometimentos da comunhão com Deus, mediante o exercício da conversação edificante e da prece renovadora, os espiritistas devem reunir-se com regularidade e freqüência para reviver, na prece e na ação nobilitante, o culto da fraternidade, em que se sustentem quando as forças físicas e morais estejam em deperecimento, para louvar e render graças ao Senhor por todas as suas concessões, para suplicar mercês e socorros para si mesmos quanto para o próximo, esteja este no círculo da afetividade doméstica e da consanguinidade, se encontre nas provações redentoras ou se alongue pelas trilhas da imensa família universal."Após a leitura da mensagem, inicia-se o Culto do Evangelho no Lar, com uma prece. A oração deve ser proferida por um dos participantes, em tom de voz audível a todos os presentes e de forma simples e espontânea, não devendo ser, portanto, decorada. Os demais, acompanham-no, seguindo a rogativa, frase por frase, repetindo,-mentalmente, em silêncio, cada expressão, a fim de imprimir o máximo ritmo e harmonia ao verbo, ao som e a idéia, numa só vibração.Na prece pode pedir-se o amparo de Deus para o lar onde o Evangelho está sendo estudado, para os presentes, seus parentes e amigos; para os enfermos, do corpo e da alma; para a paz na Terra; para os trabalhadores do Bem e etc.A prece, além de ligar o ser humano à espiritualidade, traduz respeito pelo momento de estudo a realizar-se.


04- ESTUDO DO EVANGELHO DE JESUS


O estudo do Evangelho do Cristo, à luz da Doutrina Espírita - "O Evangelho segundo o Espiritismo", de Allan Kardec - poderá ser estudado de duas formas:


a) estudo em seqüência - o estudo metódico, em pequenas partes, permite o conhecimento gradual e ordenado dos ensinamentos que o livro encerra. Após o seu término, volta-se, novamente, ao capítulo inicial;


b) estudo ao acaso - consiste na abertura, ao acaso, de "O Evangelho segundo o Espiritismo", o que ensejará, também, lições oportunas, em qualquer ocasião.
Os comentários devem envolver o trecho lido, buscando-se alcançar a essência dos ensinamentos de Jesus, realçando-se a necessidade da sua aplicação na vida diária.Pode reservar-se, posteriormente, um momento de palavra livre, onde os participantes da reunião exponham situações da vida prática, para o melhor entendimento e fixação das lições.


05- PRECE DE AGRADECIMENTO


Um dos presentes fará uma prece, agradecendo as bênçãos recebidas no Culto do Evangelho no Lar, pela paz, pelas lições recebidas etc...


06- DURAÇÃO

O tempo de duração deve girar em torno de 30 minutos ou mais.


OBS.:

No Culto do Evangelho no Lar deve ser evitada manifestações mediúnicas. A sua finalidade básica é o estudo do Evangelho de Jesus, para o aprendizado Cristão, a fim de que seus participantes melhor se conduzam na jornada terrena. Os casos de mediunidade indisciplinada devem ser encaminhados a uma sociedade espírita idônea.
Deve-se evitar comparações ou comentários que desmereçam pessoas ou religiões. No Evangelho busca-se a aquisição de valores maiores, tais como a benevolência e a caridade, a compreensão e a humildade, não cabendo, dessa forma, qualquer conversação menos edificante.
A realização do Culto do Evangelho no Lar não deve ser suspensa em virtude de visitas inesperadas. Deverá ser esclarecido o assunto com delicadeza e franqueza, convidando-se o visitante a participar do Culto, caso lhe aprouver.
O Culto do Evangelho no Lar não deve ser prejudicado, também, em virtude de solicitações sem urgência, recados inoportunos, passeios, festividades de qualquer ordem. Soluções razoáveis, de imediato, ou iniciativas, apôs a reunião, deve ser o caminho para superar os pretensos impedimentos.
Somente no caso de situações incontornáveis, em que todos não possam estar presentes, é que se justifica a não realização do Culto do Evangelho no Lar.
Evite-se ligar rádio ou televisão no dia do Culto, próximo e depois da hora de sua realização, bem como a leitura de jornais ou obras sem caráter edificante, para que se mantenha um ambiente vibratório de paz e tranqüilidade dentro do Lar, bem como saídas à rua, senão para inevitáveis e inadiáveis compromissos.Presença de criança no CultoAs crianças devem, também, participar do Culto do Evangelho no Lar. Nesses casos, os adultos descerão os comentários ao nível de entendimento delas.
Recomenda-se a leitura, como subsídio, dos capítulos 35 e 36 da obra "Os Mensageiros", do Espírito André Luiz, e "Evangelho em Casa", do Espírito Meimei, psicografadas pelo médium Francisco Cândido Xavier e editadas pela Federação Espírita Brasileira.

ESSAS INFORMAÇÕES VISAM APENAS AUXILIAR VC, SE VC PRATICA O CULTO DE OUTRA FORMA NÃO SE SINTA OFENDIDO, ISSO É APENAS UMA FORMA BÁSICA DE REALIZAR O CULTO NÃO SENDO UMA FORMA PADRÃO.

Doutrina Espírita


Doutrina Espírita
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


Allan Kardec, o codificador e sistematizador da Doutrina Espírita.
A Doutrina Espírita, espiritismo ou kardecismo[1][2][3][4], segundo a definição de seu codificador, o pedagogo francês Hippolyte Léon Denizard Rivail,que adotou o pseudônimo Allan Kardec, é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal.[5] O termo mais apropriado para designar esta Doutrina é a denominação Espiritismo, conforme orientação expressa no primeiro livro da codificação da Doutrina, O Livro dos Espíritos. Já o termo "kardecismo" foi introduzido por parte dos seus seguidores como forma de distinguí-la de outras crenças e religiões existentes, principalmente no Brasil, sendo, entretanto, sob a luz do próprio Espiritismo um termo equivocado, já que poderia induzir ao entendimento de que o papel de Allan Kardec extrapola os limites da codificação e sistematização didática dos ensinamentos da Doutrina ou que existam várias correntes de pensamento dentro do Espiritismo.
É importante ressaltar ainda que, quem quer que acredite haver em si alguma coisa mais do que matéria é, por definição, espiritualista, independente de sua religião, sendo, portanto, o espiritualismo enquanto oposição ao materialismo, o pilar fundamental da maioria das doutrinas religiosas.
No caso do Espiritismo, a principal diferença entre esta Doutrina e a maioria das demais religiões é sua crença na possibilidade de comunicação entre o mundo corporal e o mundo espiritual, contudo, a fé nesta possibilidade de comunicação gera grande confusão por parte dos leigos entre o Espiritismo e as religiões Afro-brasileiras, contudo, cada uma delas possuem origens completamente distintas umas das outras.
Nascido no século XIX, no dia 18 de Abril de 1857, com a publicação de O Livro dos Espíritos, o Espiritismo se estruturou a partir de diálogos estabelecidos por espíritos desencarnados que, se manifestando por meio de médiuns, discorreram sobre temas religiosos sob a ótica da Moral Cristã, ou seja, tendo por princípio o amor ao próximo. Desta forma foi estabelecido o preceito primário da Doutrina, de que só é possível buscar o aprimoramento espiritual através da caridade aos semelhantes (Lema: Não há salvação fora da caridade), além de trazer a luz novas perspectivas sobre diversos temas de grande relevância filosófica e teológica.
O Espiritismo se caracteriza pelo ideal de compreensão da realidade mediante a integração entre as três formas clássicas de conhecimento, que seriam a ciência, a filosofia e a moral. Segundo Kardec, cada uma delas, tomada isoladamente, tende a conduzir a excessos de ceticismo, negação ou fanatismo.[carece de fontes] A doutrina espírita se propõe, assim, a estabelecer um diálogo entre as três, visando à obtenção de uma forma original que, a um só tempo fosse mais abrangente e mais profunda, para desta forma melhor compreender a realidade. Kardec sintetiza o conceito com a celebre frase: “Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão em todas as épocas da humanidade”.
A doutrina espírita adota a Moral cristã[nb 1], apesar de suas concepções teológicas diferenciadas. Para os espíritas, nome dado aos seguidores do Espiritismo, Jesus Cristo se trata do espírito mais elevado a já ter encarnado na Terra[6], bem como o modelo de conduta para o auto-aperfeiçoamento humano, tendo provado, pela prática da caridade absoluta e pela sua própria encarnação, que o homem pode suportar as provas necessárias para a sua elevação espiritual.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Simplesmente


Simplesmente amiga.
Simplesmente companheira.
Alguém que você pode contar sempre.
Eu vivo a vida aprendendo com os erros e não fico me lamentando com eles e sim aprendendo com meus erros.
Aprendi que ser feliz é da valor nas coisas simples da vida e nas amizades sinceras.
Está ao lado das pessoas que amamos e acima de tudo ser humilde...e saber viver.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Amor


quero deixar em nome da luz,
o nome das pessoas que sofrem,
que choram,
que estao sobre um catre de dor,
que tem familiares dificeis,
que estao em uma UTI no hospital,
que nao tem um lar,
que nao tem uma familia,
que estao passando por problemas variados,
e faltam aquela palavra amiga.
PELOS SUICIDAS,
PELOS EGOISTAS,
PELOS ORGULHOSOS,
´POR NÓS MESMOS SENHOR,

E POR TODOS que nesse momento, nao conseguem enxergar o amor do PAI por eles.

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Frases de Kardec

A nossa felicidade será naturalmente proporcional em relação à felicidade que fizermos para os outrosOs espíritos protetores nos ajudam com os seus conselhos, através da voz da consciência, que fazem falar em nosso íntimo - mas como nem sempre lhes damos a necessária importância, oferecem-nos outros mais diretos, servindo-se das pessoas que nos cercam.
Allan Kardec
O homem é assim o árbitro constante de sua própria sorte. Ele pode aliviar o seu suplício ou prolongá-lo indefinidamente. Sua felicidade ou sua desgraça dependem da sua vontade de fazer o bem.
Allan Kardec
"Todo efeito tem uma causa. Todo efeito inteligente tem uma causa inteligente. O poder da causa inteligente está na razão da grandeza do efeito."
Allan Kardec
Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre, tal é a lei.
Allan Kardec
A felicidade depende das qualidades próprias do indivíduo
e não do estado material do meio em que se acha.
Allan Kardec
Fé inabalável só o é a que pode encarar frente a frente a razão, em todas as épocas da Humanidade.
Allan Kardec
O fardo é proporcional às forças, como a recompensa será proporcional à resignação e à coragem.
Allan Kardec
Fora da caridade não há salvação
Allan Kardec
Um dia sem rir é um dia desperdiçado. Cada segundo é tempo para mudar tudo para sempre.
Saudade é solidão acompanhada,
É quando o amor ainda não foi embora,
Mas o amado já...

Saudade é amar um passado
Que ainda não passou,
É recusar um presente que nos machuca,
É não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe
O que não existe mais...

Saudade é o inferno dos que perderam,
É a dor dos que ficaram para trás,
É o gosto de morte na boca dos que continuam...

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
Aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:
Não ter por quem sentir saudades,
Passar pela vida e não viver.

O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Biografia ALLAN KARDEC

ALLAN KARDEC

.

Allan Kardec nasceu a 3 de outubro de 1804 em Lion, França, filho de Jean Baptiste-Antoine Rivail, juiz, e Jeanne Duhamel, sua esposa. O Codificador do Espiritismo recebeu o nome de Hipolite-Léon Denizard Rivail e só mais tarde, após saber que numa vida anterior, entre os druidas, havia se chamado Allan Kardec, ele adotou esse pseudônimo ao assinar “O Livro dos Espíritos”, visando dar um cunho impessoal à Doutrina dos Espíritos.

O menino Rivail fez os estudos primários em Lion e completou seus estudos em Yverdun, na Suíça, com o célebre Professor Pestalozzi, de quem se tornou um dos mais eminentes discípulos. Por diversas vezes substituiu Pestalozzi na direção do Instituto de Yverdun.

Ao completar os estudos era bacharel em Letras e Ciências. Linguista, falava corretamente o alemão, inglês, italiano, espanhol e conhecia bem o holandês. Isento do serviço militar, fundou em Paris, à rua Sèvres, nº 35, uma escola semelhante à de Yverdun.

Casou-se com a professora Amélie Gabrielle Boudet a 6 de fevereiro de 1832. Encarregou-se da escrita contábil de algumas firmas, fez diversas traduções de obras inglesas e alemãs e ainda escreveu gramáticas, aritméticas e livros para estudos pedagógicos superiores. Preparou os cursos de Levy-Àlvares, para alunos de ambos os sexos. Organizou em sua própria casa, à rua Sèvres, cursos gratuitos de química, física, astronomia e anatomia comparada, que funcionaram nos anos 1835-1840.

Foi premiado, por concurso, pela Academia Real d’Arras em 1831, ao apresentar a tese “Qual o sistema de estudo mais em harmonia com as necessidades da época?” Entre os seus trabalhos publicados constam “Plano para o melhoramento da instrução pública” (1828); “Manual de exames para obtenção dos diplomas de capacidade” (1846) e “Catecismo gramatical da língua francesa” (1848).

Rivail foi professor do Liceu Polimático em 1849 e seguiu sempre publicando obras de valor didático-pedagógico. Em 1854 ouviu falar dos fenômenos que mais tarde classificaria de mediúnicos ou “espíritas”. Após estudar profundamente os ditados mediúnicos e comprovar a natureza espiritual deles, publicou “O Livro dos Espíritos” (1857), resultado da Codificação que fez do ensino dos Espíritos, obtido através de muitos médiuns treinados e residentes em diversas partes do mundo. Depois, vieram outras obras importantíssimas para a Doutrina Espírita, cuja publicação saiu na seguinte ordem:

- O LIVRO DOS MÉDIUNS (1861);

- O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO (1864);

- O CEU E O INFERNO (1865) e

- A GÊNESE (1868).

Existem outras obras complementares de Allan Kardec que podem ser lidas depois. Estas são as fundamentais, as essenciais para o conhecimento espírita.

.

Texto elaborado pelo Centro Espírita “Caminho de Damasco”

União Municipal Espírita de Garça – Garça – São Paulo

Distribuído pela Comunidade Espírita Joanna de Angelis – Ipatinga – Minas Gerais.

Calendário - Dezembro

DIA 02

1868 – Desencarna, em Paris, o livreiro e editor Didier, membro da Sociedade Espírita de Paris desde sua fundação; responsável pela primeira edição dos livros de Allan Kardec.

1886 – Nasce, no Estado da Bahia, José Florentino Seria, conhecido como José Petitinga. Comerciante, poeta, foi destacado espírita naquele Estado.

1886 – Nasce em Milevsko, Tchecoslováquia, Frederico Figner. Estabeleceu-se como industrial no Brasil e atuou em vários setores da FEB. Pela mediunidade de Chico Xavier ditou, do além, a obra "Voltei", usando o pseudônimo de Irmão Jacob.

DIA 04

1935 – Data do desencarne do criador da metapsíquica, Charles Richet.

DIA 05

1934 – Desencarna, no Rio, Humberto de Campos, escritor, deputado estadual, membro da Academia Brasileira de Letras (1920). Ditou diversas obras espíritas através do médium Chico Xavier, algumas com pseudônimo "Irmão X".

DIA 07

1953 – A polícia invade a sede da Federação Espírita Portuguesa, em Lisboa; confisca todos os bens e destrói a biblioteca, com 12.000 volumes.

DIA 10

1835 – Nasce, em Sevilha, na Espanha, Amalia Domingo Soler. Fundou o jornal "La Luz del Porvenir". Escreveu "Reencarnação e Vida", "Perdoa-me" e "Memórias do Padre Germano".

1874 – Data do nascimento de um dos maiores tribunos espíritas: Manuel Vianna de Carvalho.

1911 – Inaugurada, no Rio de Janeiro, a sede própria da FEB, por Leopoldo Cirne.

1944 – É fundada a Cruzada dos Militares Espíritas, divulgadora da Doutrina dentro das corporações militares.

DIA 11

1761 – Data de nascimento de Joanna Angélica, em Salvador, Estado da Bahia. São bastante conhecidas suas obras trazidas através da mediunidade de Divaldo Pereira Franco, sob o nome de Joanna de Angelis.

1847 – A família Fox transfere-se para Hydesville, passando a morar na casa que seria palco dos memoráveis fenômenos de efeitos físicos.

1855 – Allan Kardec recebe a revelação mediúnica de que Zéfiro era seu espírito protetor.

DIA 15

1859 – Nasce Lázaro Luiz Zamenhof, o criador do Esperanto.

DIA 16

1945 – Fundada a Sociedade Espírita Santo Agostinho, por Jésus Gonçalves, no Hospital-Colônia para hansenianos de Pirapitingui.

DIA 18

1903 – Data do desencarne de Augusto Elias da Silva, fundador da revista Reformador e um dos fundadores da FEB.

DIA 19

1998 – Dia do Movimento Você e a Paz, em Salvador/Ba. idealizado pelo médium Divaldo Pereira Franco.

DIA 24

1872 – Data de nascimento do esperantista Francisco Waldomiro Lorenz.

1900 – Data do nascimento de Yvonne do Amaral Pereira em Rio das Flores - RJ.

DIA 25

0000 – O mundo rende graças pelo nascimento de Jesus Cristo.

1893 – Nasce na Província de Sagre, Itália, Francisco Spinelli. Veio para o Brasil com 18 anos, trabalhando como alfaiate, depois como advogado. Convertido ao Espiritismo, tornou-se um de seus líderes.

1915 – É fundada a Federação Espírita do Estado da Bahia.

Calendário - Novembro

DIA 01

1918 – Desencarna em Sacramento - MG, Eurípedes Barsanulfo, cristão autêntico, espírita ativo, médium e fundador do Colégio Allan Kardec. Cognominado Apóstolo do Triângulo Mineiro.

DIA 03

1990 – Realiza-se na Bélgica o Congresso Mundial de Espiritismo.

DIA 04

1910 – Nascimento de Carlos Torres Pastorino.

DIA 05

1839 – Nasce em Lincolnshire - Inglaterra, Stainton Moses, reverendo protestante. Médium poderoso, voltou-se para o Espiritismo, tendo deixado a obra "Ensinos Espiritualistas". Foi o 1° presidente da London Spiritualist Alliance.

1930 – É fundada a Federação Espírita Sergipana.

DIA 06

1835 – Nasce em Verona - Itália, César Lombroso, criminalista. Foi pesquisador e escritor espírita, em experiências com a médium Eusápia Paladino.

DIA 07

1913 – Desencarna, na Inglaterra, o cientista e pesquisador espírita Alfred Russel Wallace.

DIA 08

1834 – Nasce em Berlim - Alemanha, Johann Karl Friedrich Zöllner, pesquisador espírita.

1908 – Desencarna, em Paris, o médium e escritor espírita Victorien Sardou.

DIA 09

1801 – Nasce, em Glasgow, Escócia, o político, jornalista e escritor espírita Robert Dale Owen.

DIA 10

1835 – Nasce em Sevilha - Espanha, Amália Domingos Soler, vulto de grande destaque no Espiritismo daquelas terras.

1923 – Data do nascimento do médium João Nunes Maia.

DIA 14

1849 – As irmãs Fox realizaram as primeiras demonstrações públicas de suas faculdades mediúnicas no Corinthian Hall, em Rochester.

1876 – Nasce na Bahia, Manoel Philomeno de Miranda. Espírita de projeção, permanece atuando no movimento através da mediunidade de Divaldo Franco, tendo já ditado várias obras.

DIA 15

1939 – Tem início o 1° Congresso Brasileiro de Jornalistas Espíritas, no Rio de Janeiros.

DIA 20

1858 – Nasce, na Suécia, Selma Lagerlöf, escritora e contista, Nobel de Literatura em 1909.

1919 – Desencarna no Rio de Janeiro o Marechal Francisco Raimundo Ewerton Quadros. Foi o primeiro presidente de Federação Espírita Brasileira.

DIA 23

1795 – Nasce, em Thiais, Val-de-Marne, França, Amélie-Gabrielle Boudet, educadora e escritora. Casou-se com o Professor Rivail (Allan Kardec), dia 06/02/1832.

1904 – Descoberto, nos escombros de uma adega, em Hydesville, o esqueleto do mascate ali assassinado, comprovando-se as informações das irmãs Fox.

DIA 24

1983 – Desencarna, em S. Paulo, o escritor espírita Eliseu Rigonatti.

DIA 29

1982 – Data do desencarne de Edgard Armond, ligado à Federação Espírita do Estado de São Paulo.

Calendário - Outubro

DIA 01

1923 - Fundada em Buenos Aires, Argentina, a revista La Idea.

1946 - Desencarnação de Meimei.

1995 - Realizado em Brasília (DF), o 1º Congresso Espírita Mundial,com a participação de 34 países: África do Sul, Angola, Argentina, Bélgica, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, Espanha, EUA, França, Guatemala, Holanda, Honduras, Inglaterra, Itália, Japão, México, Nicarágua, Noruega, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, Portugal, República Dominicana, Suécia, Suíça, Trinidade e Tobago, Uruguai e Venezuela.

DIA 02

1860 – Data de nascimento, na Espanha, de Angel Aguarod, fundador e presidente da Federação Espírita do Rio Grande do Sul, presidindo-a até 1927. Como espírita atuou em seu país natal, bem como na Argentina, Paraguai e Brasil, onde passou a residir em Porto Alegre.

1919 – Data de nascimento do médium e escritor espírita, Rafael Américo Raniere. Foi autor de vários livros sobre suas observações.

1998 – Data da abertura do Congresso Espírita Mundial, realizado em Portugal.

DIA 03

1804 – Nasce em Lyon, França, o professor Denizard Hippolyte Léon Rivail, codificador da doutrina espírita. Autor de inúmeros livros de cultura, tradutor em várias línguas, membro de diversas Academias e Sociedades Culturais; mais tarde , adotando o pseudônimo de Allan Kardec, o Codificador do Espiritismo.

1947 – Data de abertura do 1o. Congresso Espírita Pan-Americano, realizado em Buenos Aires, Argentina.

DIA 05

1916 - Desencarna em São Francisco do Sul, Santa Catarina, Joaquim Antônio de S. Thiago, parlamentar, professor e pioneiro espírita naquele estado.

1949 – É assinado, em 1949, na FEB, Rio de Janeiro, o Pacto Áureo, objetivando o fortalecimento e a união dos espíritas. Fruto de inúmeras viagens de sua comissão organizadora. Criando o Conselho Federativo Espírita, como órgão de Unificação do Espiritismo no Brasil. Na atualidade já existe um movimento nacional pela criação da Confederação Espírita Brasileira.

DIA 07

1955 - Desencarna em Porto Alegre, RS, Francisco Spinelli. Desenvolveu, na capital gaúcha, grandes serviços à doutrina espírita, tendo sido presidente da Federação Espírita do Rio Grande do Sul. Tomou parte ativa nos trabalhos que promoveram o Pacto Áureo de Unificação Espírita no Brasil.

DIA 09

1861 – É realizado o Auto-de-Fé, em Barcelona, Espanha, ato inquisitorial da Igreja que queimou, em praça pública, cerca de 300 volumes de obras espíritas, enviadas por Allan Kardec ao seu amigo Maurice Lachâtre, livreiro. Este episódio ficou conhecido como o Auto da Fé de Barcelona.

1900 – Nasce em Recife Djalma Montenegro de Farias, em 1900. Foi jornalista, orador e presidente da Federação Espírita Pernambucana.

DIA 10

1865 – Data do desencarne de Francisco Leite Bittencourt Sampaio, médium e escritor. Foi Notável médium receitista.

DIA 11

1966 – Data do desencarne de Pedro de Camargo, mais conhecido como Vinícius. A FEB publica livros de sua autoria, entre outros: "Na Seara do Mestre" e "Nas Pegadas do Mestre". Como escritor voltou-se, de forma especial, para a tarefa de evangelização.

DIA 12

1906 - Nasce em Belém, Pará, América Delgado, médium espírita conhecida pelas mensagens poéticas.

1985 - Realizado em Buenos Aires, Argentina, o 1º Congresso de Periodistas e Escritores Espíritas.

DIA 13

1926 – Desencarna o major Manuel Viana de Carvalho, um dos maiores tribunos espíritas brasileiros. Destacou-se também como o ardoroso defensor da unificação dos centros espíritas, emprestando colaboração valiosa na orientação doutrinária de várias sociedades.

DIA 17

1841 – Nasce na capital do Maranhão, o marechal Francisco Raimundo Ewerton Quadros. Engenheiro, grande propagandista do espiritismo, exerceu também a mediunidade. Foi o primeiro presidente da Federação Espírita Brasileira.

1949 - Frederico Chopin, deixa o corpo físico, ele que como músico possuía também os dotes medianímicos, via Espíritos, ouvia as magnificantes harmonias siderais e cântico extasiante entoado pelas almas resplendentes de luz.

DIA 18

1921 - Nasce na cidade mineira de Congonhas do Campo, José Pedro de Freitas, apelidado de Zé Arigó. Tornou-se conhecido internacionalmente, através de seus recursos mediúnicos, servindo de instrumento ao espírito Dr, Albert Fritz, a partir da segunda metade da década de 50.

DIA 19

1909 – Desencarna na Itália, César Lombroso, criminalista e observador espírita.

DIA 20

1950 – É fundada em Teresina a Federação Espírita do Piauí.

DIA 22

1922 – Nascimento de Meimei.

DIA 23

1918 – Desencarna Pedro Richard, um dos fundadores do Grupo Ismael.

DIA 24

1944 – Desencarna Adelaide Augusta Câmara, conhecida pelo pseudônimo de Aura Celeste, médium de largos recursos e personagem de destaque no espiritismo nacional. Dedicou-se às crianças órfãos e à velhice.

DIA 25

1837 - Nasce em Florianópolis, Santa Catarina, Joaquim Antônio de S. Thiago, divulgador do espiritismo de forma pioneira naquele estado.

1886 - Nascimento de Humberto de Campos.

DIA 26

1943 – Data do desencarne de Luiz Olímpio Guillon Ribeiro, tradutor das obras de Kardec e de Roustaing. Foi presidente da FEB.

DIA 27

1937 – Numa ação arbitrária da policia, sem qualquer justificativa, a FEB é fechada por um período de 3 dias.

DIA 29

1999 - Fundada em Brasília, em 1999, a ABRAME - Associação Brasileira dos Magistrados Espíritas.

DIA 31

1948 - Realiza-se em São Paulo, o Congresso Brasileiro de Unificação Espírita.

1949 - Tem início a Caravana da Fraternidade. Partiu do Rio de Janeiro com destino ao Norte e Nordeste, visando criar órgãos federativos estaduais.